Donald Trump assinou uma nova lei revogando uma parte da Reforma de Wall Street Dodd-Frank e da Lei de Proteção ao Consumidor – essencialmente dando às companhias de energia e mineração um reinado livre para lidar com governos estrangeiros sem revelar seus laços financeiros. A lei teria combatido a corrupção ao exigir que essas corporações declarassem publicamente impostos e taxas pagas a governos no exterior. O Congresso usou uma resolução pouco conhecida chamada de Lei de Revisão do Congresso, que permite aos legisladores derrubar os regulamentos antes que eles entrem em vigor. Este é o mesmo processo usado no início deste mês para derrubar a regra de proteção de córrego de 2016 destinada a manter a poluição do carvão fora das vias navegáveis do país.

Embora raramente tenha sido usado no passado, parece que os republicanos estão dispostos a usá-lo para derrubar qualquer legislação da era Obama que puderem. Uma implicação especialmente preocupante da nova lei é como poderia beneficiar a ExxonMobil, que Rex Tillerson, agora Secretário de Estado dos EUA, liderou anteriormente como CEO. Muitos já citaram seu envolvimento na indústria de energia como um conflito de interesses, e os laços estreitos da empresa com o governo russo levantaram suspeitas.
A ExxonMobil foi uma das várias empresas de energia que pressionaram agressivamente o Congresso para derrubar a regra. Considerando que a empresa já foi acusada de suprimir pesquisas sobre mudanças climáticas, isso não deve ser uma surpresa para ninguém.

A regra de divulgação teria exigido que as empresas começassem a tornar públicos seus laços estrangeiros no primeiro ano fiscal que terminasse em ou depois de 30 de setembro de 2018. Agora, talvez nunca saibamos o que as empresas de energia estão escondendo de nós.